Blog empregos.online

Espaço informal para divulgação de artigos, novidades e alterações

sexta-feira, junho 16, 2006

Vencedor Passatempo empregos.online.pt

Parabéns à nossa utilizadora Rita Dias, a vencedora do nosso passatempo Apple iPod Nano para utilizadores que inserissem ou actualizassem os dados do seu CV.



A Rita (na fotografia à esquerda) actualizou o seu CV no dia 2006-05-09 às 11:19:05 AM.

A todos os utilizadores que participaram, actualizando os seus dados ou inserindo o seu CV, agradecemos a participação e deixamos a informação que em breve iniciaremos um novo passatempo que irá contemplar uma nova funcionalidade do site.

A equipa empregos.online.pt

sábado, junho 10, 2006

Forças Armadas atraem jovens

Mais de 9500 jovens já formalizaram a sua pré-candidatura para ingressar nas forças armadas em regime de contrato ou de voluntariado. Entre os três ramos, o Exército é o mais procurados, com 5291 jovens a candidatarem-se para ingressar nas suas fileiras.

Ao contrário do ano passado, em que a Força Aérea e Marinha foram os ramos mais procurados, desta vez, apenas 14 por cento optaram pela farda branca, enquanto 10 por cento preferiu tentar a sorte no ar.

As remunerações e o regime de incentivos nas Forças Armadas podem ser um dos principais incentivos para esta procura, já que após cinco semanas a receberem apenas 180 euros, os jovens recrutas passam para um vencimento de 470 euros e após as 12 semanas de instrução os jovens passam a ganhar 520 euros, segundo dados revelados hoje pelo Correio da Manhã.

Alexandra Duarte

quinta-feira, junho 08, 2006

Empresas portuguesas criaram 110 mil empregos directos no Brasil

Um estudo do ICEP revela que existem actualmente no Brasil 666 empresas com capitais portugueses, responsáveis pela criação de 110 mil empregos directos no território. Os dados são divulgados hoje pelo Diário Económico e mostram que as empresas portuguesas presentes no mercado brasileiro já investiram cerca de 16.6 milhões de euros entre 1995 e 2005. No entanto, os últimos dois anos registaram um abrandamento de cerca de 300 milhões de euros anuais.

O estudo revela ainda que a distribuição geográfica das empresas tem mudado nos últimos anos, com São Paulo a continuar a contar com o maior número de subsidiárias (29.6%), mas registando-se um aumento nos Estados do Nordeste, nomeadamente o Ceará, que no conjunto representam 43.2% do total.

Alexandra Duarte / Empregos.online

quarta-feira, maio 31, 2006

Bolsa de emprego online para imigrantes

Uma bolsa de emprego online para divulgar as ofertas de trabalho, sob a alçada do Instituto de Emprego e Formação Profissional, é uma das grandes novidades do ante-projecto da nova lei de imigração. Nesta bolsa, os imigrantes poderão colocar as suas candidaturas espontâneas, com os seus curricula e esperar que alguma entidade patronal portuguesa se interesse. Sempre que isto se verificar, o Governo português concederá um visto de residência temporária ao candidato, com um prazo de seis meses.

As oportunidades de trabalho não satisfeitas pela preferência nacional/comunitária passam a ser reavaliadas anualmente e sempre num contingente global, mediante parecer da Comissão Permanente de Concertação Social. Apenas se falará de sectores de actividade quando for para exclui-los destas ofertas. Mantém-se igualmente a possibilidade de obtenção de visto de residência para quem tenha um contrato/promessa de emprego em seu poder.

Alexandra Duarte / Empregos.online

segunda-feira, maio 29, 2006

Multinacionais apostam na mobilidade internacional sem políticas definidas

Cerca de 44% das empresas multinacionais aumentou o número de contratos de mobilidade internacional dos seus colaboradores nos últimos dois anos, embora sem definir políticas específicas para o efeito. A informação é avançada por um estudo hoje divulgado pela Mercer Consulting, que adianta ainda que as deslocações temporais dos colaboradores tornaram-se mais frequentes nos últimos anos, por serem mais rentáveis para uma empresa do que a sua expatriação.

A consultora de recursos humanos sublinha também que este tipo de deslocação permite ainda às empresas "transferir conjuntos de competências de uma forma rápida e simples".

Das 200 multinacionais abrangidas no estudo, 84% coloca os empregados em contratos de deslocamento temporal, mas apenas 56% "tem uma política formal para este tipo de contrato", pode ler-se na nota hoje divulgada.

A Mercer alerta que "para que as deslocações temporais tenham sucesso, as empresas necessitam de desenvolver políticas bem definidas para gerir os custos e limitar os riscos".

quarta-feira, maio 17, 2006

5ª Feira de Emprego e Formação do Porto com Empregos.Online

Decorre a partir de 20 de Maio a 5ª Feira de Emprego e Formação do Porto, organizada pela JobFair. O evento tem lugar no Mercado Ferreira Borges e conta entre os muitos parceiros com o apoio do portal empregos.online.pt. Teresa Veríssimo, account manager do portal de emprego considera que “a JobFair proporciona uma excelente ocasião de estabelecimento de contactos entre indivíduos à procura de emprego / de novas oportunidades e as entidades empregadoras”.

O objectivo do evento é privilegiar o encontro entre as empresas e a população activa, nomeadamente os jovens desempregados ou que procuram ainda o primeiro emprego, promovendo e dinamizando o emprego na região do Porto e em Portugal. Daí que como explica a account manager da Empregos.Online considere que para o portal esta “é uma excelente oportunidade para consolidar a imagem de marca que possui junto dos seus clientes, de potenciais clientes e dos nossos utilizadores”. O facto da empresa privilegiar “o contacto interpessoal” foi, segundo Teresa Veríssimo, “um dos factores que também pesou na nossa aceitação do convite em sermos parceiros na JobFair”.

A Empregos.Online vai ainda aproveitar a oportunidade para fazer o lançamento oficial do portal de Recursos Humanos (www.planetarh.com), único em Portugal, que contém informação como ofertas de emprego, entrevistas, artigos, em tempo-real, sobre esta área, segundo adiantou Teresa Veríssimo.

Com entrada gratuita, esta Feira de Emprego contará com diversas iniciativas ligadas ao emprego e à formação, com certificação, apresentações e uma área de exposição totalmente dedicada ao tema.

Segundo a organização, este evento destina-se a todo tipo de pessoas, que procurem estágios, part-times, full-times, primeiro emprego, mudar de emprego, formação e saber mais sobre esta temática.

Para além das candidaturas a oportunidades de emprego, os visitantes terão ainda a possibilidade de dar um toque pessoal ao seu CV, conhecer as últimas novidades no âmbito da formação e receber algumas dicas na gestão da sua carreira.

Alexandra Duarte / Empregos.Online

sábado, maio 13, 2006

Estado não paga aos estagiários profissionais

A maioria dos licenciados a quem o Governo arranjou estágios profissionais no Estado não está a receber o ordenado de 740 euros a que tem direito.

A notícia é hoje avançada pelo Expresso, que dá como exemplos os estagiários que estão a trabalhar na GNR e no Instituto Nacional de Estatística desde 1 de Março e ainda não receberam qualquer vencimento.
O Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública foi lançado pelo Governo em Novembro e já colocou cerca de 120 licenciados. O objectivo do programa é, no entanto, oferecer lugares a três mil jovens licenciados e em situação de desemprego, embora só tenham sido seleccionados candidatos suficientes para preencher 1.350 do total dos estágios. O Governo justifica o atraso com as mais de cem mil candidaturas recebidas.

Alexandra Duarte / Empregos.online

terça-feira, maio 02, 2006

Desemprego agrava com a fraca mobilidade dos portugueses

A fraca mobilidade dos trabalhadores é um dos factores que contribui mais para agravar a taxa de desemprego em Portugal, revela o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que tem neste momento mais de 480 mil pessoas registadas sem trabalho.

Uma em cada três pessoas inscritas nos centros de emprego trabalhou no comércio, foi empregado de escritório ou profissional de segurança.
Curiosamente, são estas as profissões onde há falta de trabalhadores é maior, sendo que do total de 40 mil ofertas de emprego não preenchidas durante o ano passado, a maior parte refere-se aos sectores da segurança, hotelaria e restauração, imobiliário ou comércio e serviços.

Para o IEFP, a explicação para esta contradição reside na fraca mobilidade dos trabalhadores portugueses, já que um desempregado que vive no Porto dificilmente aceita ir trabalhar, por exemplo, para o Alentejo, adianta a SIC.

Alexandra Duarte

PCP exige revisão do acordo laboral da Base das Lajes

O PCP da ilha Terceira defendeu hoje a revisão do acordo laboral em vigor na Base das Lajes para salvaguardar e regulamentar os direitos dos trabalhadores portugueses que se encontram ao serviço dos militares norte-americanos. A exigência foi manifestada durante a reunião com a delegação do Sindicato das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Similares dos Açores ( SIABA).

Segundo os comunistas, a aplicação do inquérito salarial, que estipula os aumentos de vencimentos anuais para os civis portugueses, "não está a ser cumprida".

O secretariado do PCP na ilha Terceira pretende, agora, levar a questão ao grupo parlamentar comunista na Assembleia da República "para possíveis tomadas de posição" no Parlamento e para "futuros contactos com o ministério dos Negócios Estrangeiros" português.

Actualmente são cerca de 900 os civis portugueses que trabalham na base aérea das Lajes, localizada no concelho da Praia da Vitória.

Alexandra Duarte

Jovens açorianos vão ter sistema de incentivos para criação de empresas

Os jovens açorianos vão dispor de um sistema de incentivos para a criação de novas empresas, que prevê a atribuição de apoios até aos 200 mil euros. Numa conferência de imprensa, o secretário regional da Economia adiantou que o "Empreende-Jovem", que deve ser aprovado pelo parlamento açoriano até Julho, pretende estimular iniciativas empresariais da responsabilidade de jovens entre os 18 e 35 anos.

Para projectos apresentados nas "ilhas de coesão" (Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo), os financiamentos a fundo perdido poderão corresponder a 40 por cento do seu valor global, podendo outros 35 por cento assumir o carácter de subsídios reembolsáveis.

Segundo Duarte Ponte, este sistema pretende favorecer "o aparecimento de uma cultura de risco, estimular a renovação do tecido económico regional e promover o lançamento de projectos inovadores". O novo sistema de incentivos foi "desenhado tendo em conta as novas perspectivas abertas pelo próximo Quadro Comunitário de Apoio", e contempla outras duas medidas: integração de jovens qualificados nas empresas e apoio a formação profissional de excelência no país e no estrangeiro.

Será ainda lançado um Concurso Regional de Empreendedorismo, com prémios que oscilam entre 2.500 e os 3.500 euros, e que irá distinguir anualmente os três melhores planos de negócios apresentados por jovens à Direcção Regional e Apoio à Coesão Económica. O prazo para candidatura decorre de 01 de Junho a 31 de Julho, e a entrega dos prémios está prevista para o final do ano na "Gala do Empreendedor".

Alexandra Duarte

domingo, abril 30, 2006

Lisboetas ganham mais 10% que trabalhadores do Porto

Em Lisboa os ordenados são, em média. 10% superiores aos praticados no Porto. A conclusão é do estudo salarial publicado pela Hays acerca da Península Ibérica e refere-se a dados de 2005.

Segundo a consultora, a área onde a discrepância é maior é nas tecnologias da informação, com os lisboetas a ganharem em média mais 22% do que os trabalhadores da região do Porto. Segue-se o sector da contabilidade e finanças (14%) e as vendas e o marketing (12%). Como todas as regras, também aqui existem excepções. São elas a engenharia e a construção civil, onde a diferença de ordenados entre as duas cidades é inferior a um décimo: 5%.

O estudo da Hays, que envolveu 15 mil pessoas e refere-se aos salários brutos anuais, mostra que na maioria dos casos, quanto maior a especialização da mão-de-obra ou a experiência, maior a diferença de ordenados entre Lisboa e Porto.

Encontre o estudo salarial da Hays seguindo este link:

Estudo Salarial Hays

Alexandra Duarte
empregos.online.pt

Desemprego continua a aumentar no Algarve

Apesar o número total de desempregados ter diminuído em Março, segundo as estatísticas do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), esta tendência não se verificou na região do Algarve. A União dos Sindicatos do Algarve (USA), afecta à Confederação-Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) diz que o desemprego "continua a crescer na região", embora os números do IEFP "possam sugerir erradamente o contrário".

As estatísticas do IEFP indicam que o total de desempregados em Março atingiria os 15.325, o que representaria um decréscimo de 519 desempregados, relativamente ao mesmo mês do ano anterior. Mas este facto deriva, segundo os sindicatos algarvios, do "impacto da diminuição excepcional registada pelo IEFP" nos meses de Setembro e Novembro de 2005.

"Assim, em Janeiro de 2006, inscreveram-se nos centros de emprego do Algarve do IEFP, 3.287 novos desempregados, mais 73 que no mesmo mês de 2005 (mais 2,3%); em Fevereiro, inscreveram-se 2.245 novos desempregados, mais 74 que no mesmo mês de 2005 (mais 3,4%); e em Março inscreveram-se 2556 novos desempregados, mais 149 que no mesmo mês de 2005 (mais 6,2%)", explica a USA.

Alexandra Duarte
empregos.online.pt

ANA vai formar técnicos de aviação de Macau e da China

A ANA - Aeroportos de Portugal assinou em Lisboa na sexta-feira, 28 de Abril, acordos de cooperação com autoridades de aviação de Macau e da China para formar controladores de tráfego aéreo e gestores de espaço aéreo e de infra-estruturas aeroportuárias.

O primeiro protocolo prevê a formação de 72 técnicos em gestão aeroportuária sendo que 24 são de Macau, 24 da Autoridade da Aviação Civil do Norte da China e 24 da Autoridade da Aviação Civil do Centro/Sul da China.

O segundo prevê a geminação entre os aeroportos de Macau e de Lisboa numa iniciativa entre a Companhia do Aeroporto de Macau (CAM) e a ANA. Segundo o director de planeamento e desenvolvimento da CAM, António Rato, "este acordo é uma parceria estratégica completamente aberta a vários programas de cooperação como definição de políticas, troca de pessoal e formação mas que também prevê o início imediato de um trabalho conjunto para o desenvolvimento de uma ligação aérea entre Lisboa e Macau", disse em declarações à Lusa.

Além dos acordos em acto público a que assistem responsáveis políticos de Portugal e Macau, a NAV Portugal, a CAM e a Aviação Civil do Norte da China irá ainda ser assinado um acordo para formação em programação de espaço aéreo - onde se inclui a definição de corredores, gestão e planeamento do espaço aéreo - na qual Portugal irá dar formação a vinte técnicos.

O investimento das autoridades chinesas na contratação de milhares de peritos em aviação civil para cobrir as necessidades dos aeroportos nacionais e do movimento de aeronaves no espaço aéreo nacional, consequentes do desenvolvimento económico a que se tem assistido no gigante asiático, surge assim como uma oportunidade de cooperação para Portugal e outros países de expressão portuguesa.

Alexandra Duarte
empregos.online.pt

Portugal acaba com restrições à entrada de trabalhadores de Leste

Os trabalhadores dos novos Estados-membros da União Europeia (UE) vão poder circular livremente em Portugal a partir de segunda-feira, na sequência da decisão do Governo de levantar as restrições dois anos após o alargamento do espaço europeu.

A decisão das autoridades portuguesas foi comunicada a Bruxelas no início de Março e acreditam que esta abertura do mercado aos trabalhadores de Leste "não terá um impacto significativo", sublinhando antes a importância "política" do gesto.

O receio de uma "invasão de mão-de-obra barata" tinha levado a que no Tratado de Adesão assinado em 16 de Abril de 2003 fossem introduzidas disposições de restrições temporárias à entrada de trabalhadores dos oito novos países comunitários: Polónia, República Checa, Hungria, Eslováquia, Eslovénia, Letónia, Estónia e Lituânia (ficaram de fora Chipre e Malta).

Mas apenas doze dos quinze antigos Estados-membros (excepto a Irlanda, a Suécia e o Reino Unido) decidiram fazer uso desse período de transição - que se pode prolongar por sete anos. Portugal, Espanha e Finlândia embora tenham usado esta restrição na primeira fase (dois anos) decidiram este ano antecipar o levantamento das restrições nacionais, uma decisão saudada pela Comissão Europeia.

Quanto aos restantes países, optaram por manter as restrições durante a segunda fase do período de transição (2006-2009), ou levantar as barreiras apenas em alguns sectores.

No Conselho de Emprego e Assuntos Sociais realizado no início de Março em Bruxelas, o ministro do Trabalho e Solidariedade Social, Vieira da Silva, havia explicado que a decisão do Governo teve como objectivo contribuir, ainda que "de forma singela", para o processo de construção europeia, ao antecipar relativamente aos novos Estados-membros o direito de circulação, um dos "direitos mais relevantes" do espaço europeu. Outra das razões deveu-se à "análise concreta da situação que se vive hoje na Europa e em Portugal" e do relatório elaborado pela Comissão Europeia, que concluiu que "não houve impacto negativo" nos países que abriram as suas fronteiras, enquanto que "nalguns que o não fizeram" aumentou o desemprego.

Actualmente, o número de trabalhadores legais em Portugal oriundos dos novos Estados-membros em Portugal não chega aos mil.

Alexandra Duarte
empregos.online.pt

segunda-feira, abril 17, 2006

Número de inscritos nos centros de emprego caiu 0,9% em Março

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego caiu 0,9% em Março, face a igual mês do ano passado. O anúncio foi do Ministério do Trabalho e da Solidariedade e corresponde a dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

São quase 500 mil os desempregados que no final de Março se encontravam inscritos nos centros de emprego do Continente e Regiões Autónomas, o que representa uma diminuição de 1,6% face ao número de inscritos verificado em Fevereiro.
Em comunicado, o Ministério do Trabalho e da Solidariedade refere que “esta é a maior redução em cadeia verificada em Fevereiro desde 2000, quer em termos absolutos, quer em termos relativos” e que, em termos anuais, "este é o primeiro mês desde Fevereiro de 2002 em que se assiste a uma diminuição" do número de inscritos face ao mesmo mês no ano anterior.

As regiões do país em que o desemprego em termos homólogos não sofreu uma diminuição foram a região Norte, que registou um aumento de 1%, e os Açores, onde o número de inscritos subiu 5,5%.

No que respeita ao número de ofertas de emprego recebidas pelos centros de emprego, aumentaram 26,2% em Março, face a Fevereiro, para 9.796.

Este número traduz uma evolução homóloga de 5,1%, fazendo com que Março fosse o 12º mês consecutivo de aumento das ofertas de emprego no Continente, “facto que indicia um maior dinamismo da actividade económica”, acrescenta o Ministério do Trabalho e da Solidariedade.

Alexandra Duarte

segunda-feira, abril 10, 2006

Projecto para integrar imigrantes de leste no mercado de trabalho

Cerca de mil imigrantes dos países de leste irão ter formação, de forma a virem a ser integrados no mercado de trabalho nacional até ao final de 2007. A medida surge ao abrigo de um programa financiado pelo Fundo Social Europeu, o FIC – Formar, Integrar e Competir. Segundo afirmou à Lusa João Almeida Garrett, director do projecto, o objectivo é “criar uma bolsa de emprego específica para imigrantes de Leste, ao qual as empresas portuguesas possam recorrer quando precisarem de contratar alguém".

O FIC está a aceitar inscrições de imigrantes de Leste com competências técnicas em áreas como electricidade, mecânica, hidráulica e pneumática, entre outras. Depois será feita uma avaliação dos conhecimentos de cada formando, nomeadamente em língua portuguesa, para serem integrados nas turmas do curso de português e de cidadania portuguesa. Mais tarde, serão submetidos a um exame europeu que lhes dará um diploma e equivalência a Português como segunda língua.

Os interessados em participar no projecto podem registar-se no site www.fic-portugal.com, ou dirigir-se a um Centro Local de Apoio ao Imigrante ou entrar em contacto com os parceiros do projecto (ACIME, Socialis - Associação de Solidariedade Social, Associação Nacional de Freguesias, Associação Empresarial de Portugal, a Associação Industrial Portuguesa e POEFDS - Programa Operacional de Emprego, Formação e Desenvolvimento Social).

Inquérito do IEFP revela pouco impacto da formação na obtenção de emprego

Um inquérito do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) - para aferir o impacto da formação profissional e a sua empregabilidade - divulgado hoje pelo Jornal de Negócios, indica que apenas um em cada quatro dos desempregados ou inactivos que tiveram formação profissional em 2005 conseguiu emprego nos três meses seguintes.

Dos que conseguiram emprego, quase metade entende que não foi graças à formação recebida.

O inquérito do IEFP conclui que 36 por cento das pessoas que tiveram formação em 2005 eram licenciados, um número que é precisamente o dobro daquele que foi registado em 2004, quando os que tinham um curso superior eram apenas 18 por cento das pessoas que tinham acções de formação.

Segundo os dados, 31.368 pessoas receberam formação profissional com duração superior a 100 horas em 2005, na sua maioria (43,5 por cento) com o objectivo de conseguir um emprego, mas também para melhorar a formação já adquirida (36 por cento).

Dos desempregados e inactivos que receberam formação, 72,5 por cento continua sem emprego, sendo o obstáculo mais vezes apontado a falta de emprego na região (28,4 por cento), sobretudo no Alentejo (45 por cento), ou a falta de emprego na área de formação académica (17 por cento, mais 7 por cento que em 2004).

Entre a minoria que conseguiu emprego depois da formação, 44 por cento afirma que os cursos não contribuíram para a obtenção do emprego.

Governo limita acesso a subsídio de desemprego a quem rescinde por mútuo acordo

O acesso ao subsídio de desemprego para quem rescinda contrato laboral por mútuo acordo vai ficar limitado a um máximo de três trabalhadores ou 25 por cento do quadro de pessoal, no caso das empresas com até 250 trabalhadores.
Esta foi a última proposta entregue hoje pelo Governo aos parceiros sociais. Estas limitações no acesso ao subsídio de desemprego não se aplicam às situações decorrentes da cessação do contrato de trabalho por mútuo acordo que se integrem num processo de redução de efectivos, quer por motivo de reestruturação, viabilização ou recuperação da empresa, quer ainda por a empresa se encontrar em situação económica difícil, independentemente da dimensão da empresa.
O documento final vai ser discutido em sede de concertação social na próxima segunda-feira, mas o ministro Vieira da Silva garantiu que se não houver consenso o Governo legislará com base nas orientações que resultarem da discussão.
O novo regime do subsídio de desemprego deverá entrar em vigor no segundo semestre do ano.

Beneficiários do subsídio desemprego que faltem a convocatória vão poder justificar

Os beneficiários do subsídio de desemprego que faltem à convocatória dos serviços públicos de emprego sem justificação vão ter a possibilidade de apresentar elementos justificativos, antes de perderem a prestação social, segundo avança a agência Lusa.

Esta é uma das alterações introduzidas pelo Governo na proposta final de revisão da protecção social na eventualidade de desemprego, entregue hoje aos parceiros sociais.

Os beneficiários do subsídio de desemprego podem ser convocados "regularmente pelos serviços de emprego", nomeadamente para acções de controlo, acompanhamento e ofertas de emprego, acções de formação profissional ou trabalho socialmente necessário ou para efeitos de aceitação de oferta de emprego.

Também a recusa e/ou incumprimento do plano pessoal de emprego - contrato com o plano de inserção profissional bem como a concretização dos deveres de procura activa – leva à cessação da prestação social.

Outra das alterações prende-se com o conceito de emprego conveniente e com as condições em que o beneficiário do subsídio de desemprego pode recusar um emprego.

Neste sentido, os candidatos não podem recusar ofertas de emprego que, cumulativamente, reúnam os seguintes requisitos: natureza das funções a desempenhar, despesas de deslocação, tempo de deslocação e remuneração.

A última proposta considera emprego conveniente aquele que não implique despesas para deslocações entre a residência e o local de trabalho superiores a 10 por cento da retribuição ilíquida mensal.

Também o tempo de deslocação sofre alterações, nomeadamente para os beneficiários que demonstrem ter filhos menores ou dependentes a cargo, que vêem o limite reduzido para 20 por cento. Para os restantes beneficiários, o tempo gasto na deslocação não poderá exceder 25 por cento do horário de trabalho.

Considera-se também emprego conveniente qualquer oferta cuja remuneração ilíquida seja igual ou superior ao subsídio de desemprego acrescido de 25 por cento, no caso dos trabalhadores que estão a receber subsídio de desemprego no prazo de seis meses.

A partir do sexto mês, o trabalhador já não pode recusar a oferta de emprego se a mesma tiver um valor remuneratório ilíquido igual ao subsídio de desemprego acrescido de 10 por cento, contra os 5 por cento propostos anteriormente.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Alterações no site

Aparentemente as últimas alterações realizadas à pesquisa não foram muito bem-vindas pelos utilizadores.

Desta forma, e até o sistema de filtragem por categorias estar mais testado e evoluído, toda a parte de favoritos e notificações voltará ao formato tradicional.

Infelizmente, a reposição não é imediata, logo os utilizadores terão que fazer as suas pesquisas favoritas manualmente na página inicial. O processo poderá demorar um ou dois dias até estar completamente regularizado.

Por qualquer transtorno causado, ficam as nossas desculpas.

A equipa

http://empregos.online.pt

sábado, fevereiro 04, 2006

Notificações offline

O serviço de notificações por e-mail está está em manutenção.

Se quiserem continuar a ser notificados sempre que existem novas ofertas, sugiro a instalação do Deskjob.

Assim que as notificações estiverem de novo activas, colocaremos um post no blog.

terça-feira, janeiro 31, 2006

2006 - o que nos espera?

2006... Será o ano da tão desejada retoma?
Segundo os indicadores do Governo e do Banco de Portugal, acho que a "seca" não se vai limitar apenas à falta de água no nosso país. Mais um ano de aperto, e nós portugueses, lá vamos ter que furar mais um buraco no cinto que já é sufocante.
O desemprego aumenta, os preços sobem, o poder de compra diminui, a segurança social em colapso financeiro. Este é o cenário negro, o que prova que o sistema está em ruptura.
Apesar de tudo isto, temos de manter aquela esperança lusitana, aquela que nos dominou até ao último minuto do prolongamento do jogo Portugal-Grécia em 2004. Acredito que melhores dias virão, e aproveito para desejar a todos um excelente ano, convicto de que tudo não passa de uma fase menos boa e que sempre que o nosso povo é chamado a intervir, demonstramos as nossas reais capacidades e competências.

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Serviço de Updates em Manutenção

Durante os próximos dias 6 e 7 de Janeiro, o site não terá conteúdos actualizados devido ao upgrade que será feito ao sistema de crawling e indexação.

Assim, sugerimos que visitem os sites habituais directamente para ficarem a par das últimas ofertas disponíveis.

Domingo, dia 8, tudo estará de volta ao normal.

terça-feira, janeiro 03, 2006

Excesso de tráfego

Hoje, aparentemente, é o dia com mais tráfego registado pelos nossos servidores, pois muitos utilizadores voltaram hoje do seu periodo de férias, muitos novos utilizadores, inserções de CV's, etc.

É normal que o acesso aos conteúdos esteja lento, que algumas funcionalidades mais pesadas sejam desactivadas, como os favoritos, e que possam aparecer algumas mensagens de erro.

Estamos a trabalhar 'around the clock' para melhorar a qualidade do serviço.

O Reconhecimento é a Primeira Necessidade de uma Alma Bela !

Caríssimos(as):

Com meus 54,4 anos, 39 de Segurança Social, sei o que é o não ter ainda
direito à minha reforma antecipada e forçada !!! Tivera eu 20 da dita Segurança Social e 55 de idade e estava mais tranquilo, pois já estaria reformado. Mesmo não sendo político... Mas creio manter forças e, acima de tudo, esperança. Fiz formação com sucesso. Formação na área profissional. Formação para poder ser formador. Investi e endividei-me em projecto já aprovado mas, apesar de tudo, continuo na sombra do desemprego, hoje com pedido do subsídio social, ou seja, candidato ao célebre SMN ( salário mínimo nacional ). Pergunto: - Onde há trabalho e empregadores que queiram formação, dedicação e, creio que sem dúvidas, competência demonstrada ??? Porque tenho 54,4 anos... Hoje, início de 2006, o meu optimismo reside em resignar-me na espera dos 55 anos com o pesadelo ou sindroma das leis a ensombrar-me a esperança da reforma. E sei que só um futuro próximo responderá, pois duvido dos 150.000 empregos prometidos aos Portugueses e eventuais imigrantes que por cá entram.

Desejo-vos um BOM ANO 2006, PRÓSPERO, FELIZ !
Agradeço do coração toda a informação que, por esta via, vou recebendo.
Os meus melhores cumprimentos.

Post em nome de Vitorino Sousa

sábado, dezembro 31, 2005

DeskJob 1.01 beta

Já está disponível uma nova versão do DeskJob, com alguns problemas resolvidos.

Podem fazer o download aqui.

Se já tinham instalada a versão anterior, deverão sair da aplicação e fazer a desinstalação em Adicionar/Remover programas antes de instalarem a nova.

Para saberem mais sobre o deskjob, consultem este post.

Qualquer questão/dúvida/bug/etc deverá ser deixada aqui nos comentários.
Link

sábado, dezembro 24, 2005

Feliz Natal

A equipa empregos.online.pt deseja a todos os seus utilizadores um Feliz Natal.

Adalberto Barata
Dianne Paulo
Hugo Guerreiro
Inês Pontes
Joana Morais
Pedro Figueiredo
Sílvia Baião
Link

DeskJob 1.0 beta

DeskJob beta

Está disponível para download a versão 1.0 beta do software DeskJob.

O DeskJob é uma pequena aplicação que fica residente no 'tray' do seu PC e que alerta-lo-á sempre que uma nova oferta de emprego entrar no indíce e que corresponda ao seu perfil de utilizador.

Basicamente, sempre que existir uma entrada nos favoritos, será avisado com a abertura de uma janela com as últimas 10 entradas no desktop do seu Windows.
A aplicação não contém qualquer tipo de spyware, virus ou malware. No entanto, e se tem uma firewall instalada, é possível que tenha que dar permissão de acesso externo ao software.

INSTALAÇÃO
==========

1 - Faça download do software (1.53MB) em http://deskjob.empregos.online.pt

2 - Depois de descomprimir o ficheiro Zip, faça duplo-clique sobre o ficheiro Setup.

3 - Siga os passos de instalação, clicando em 'Next' (a versão final terá um instalador em Português).

4 - Depois de finalizada a instalação, encontrará no seu menu de programas o programa EmpregosOnline. Seleccione "DeskJob Beta".

5 - Um icone com um boneco vermelho aparecerá no canto inferior direito do seu Windows. Clique no icone com o botão direito do rato e seleccione "configuração".

6 - Na janela de configuração coloque o e-mail e a respectiva password de acesso ao site. Se não se lembra da sua password, pode recuperá-la em aqui. Seleccione o tempo mínimo de pelo menos 30 minutos. Um valor inferior não terá qualquer resultado prático, pois as ofertas são colocadas online em blocos de 30 minutos. Clique em "Guardar".

7 - Uma nova janela deverá aparecer com as últimas 10 ofertas dos seus favoritos. Sempre que uma nova oferta entrar, a janela aparecerá de novo.

NOTA: A framework .net 1.1 da Microsoft tem que estar instalada. A melhor forma de a instalar é através dos updates windows > updates opcionais > .net framework. O link é este Windows Update.
Se por alguma razão não conseguir usar o windows update, pode fazer o download directo aqui: Microsoft .Net Framework 1.1. Seleccione o idioma do seu sistema operativo primeiro antes de fazer o download.

DESINSTALAÇÂO
=============

1 - Feche a aplicação clicando com o botão direito do rato no icone e clique em "Sair".

2 - No seu painel de controle, seleccione "Adicionar/Remover programas" e escolha a aplicação "Deskjob Beta" e seleccione "Remover".

3 - A aplicação será removida.


DÚVIDAS, COMENTÁRIOS, BUGS OU SUGESTÕES
==========================

As dúvidas, comentários, bugs ou sugestões deverão ser colocadas nos comentários desta entrada no blog.
Link

sexta-feira, dezembro 23, 2005

Serviço Excelente!

Caros Senhores,
Venho agradecer a qualidade do serviço prestado que é excelente.
Em apenas 1 mês consegui o "part-time" que pretendia graças à facilidade

e abrangência das pequisas efectuadas no vosso sítio. Se tivesse que pesquisar os anúncios nos jornais provavelmente não teria conseguido pois não tenho disponibilidade para o fazer de uma forma sistemática.
Fazendo votos de umas boas festas, subscrevo-me,
Com os melhores cumprimentos,

Post em nome de Fernando Barbosa

quinta-feira, dezembro 22, 2005

OpenOffice


Para quem precisar de criar os seus CV's em qualquer um dos formatos suportados (PDF, DOC ou RTF) e não quiser gastar uma fortuna em software, pode utilizar o fantástico OpenOffice, que é 100% gratuito.

Existe uma versão em Português em http://pt.openoffice.org e para quem prefere o inglês pode puxar a última versão 2.0 em http://download.openoffice.org/2.0.1/index.html.

O ficheiro deverá rondar os 80MB e os mais entendidos poderão usar um manager P2P para descarregar de várias fontes simultaneamente.

Encontrarão igualmente outros extras gratuitos, como dicionários, clipart, etc.
Link

terça-feira, dezembro 20, 2005

Desemprego que cresce sem se ver

EM CADA dia que passa, 17 licenciados engrossam, em média, as fileiras do desemprego. No total, e englobando os novos desempregados com todo o tipo de qualificações, o número dispara para os 340 por dia, segundo os dados oficiais mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE). Uma realidade só por si já negra, mas que não revela a verdadeira dimensão do número de pessoas que estão efectivamente sem trabalho, aponta o economista Eugénio Rosa.

Mais em Expresso Emprego
Link

Licenciados disparam desesemprego!

Há 43,3 mil pessoas com diploma de curso superior sem trabalho! De acordo com os dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), em Novembro deste ano havia mais 5939 indivíduos com curso superior sem trabalho, o que corresponde a 40 por cento do aumento total dos desempregados, a igual mês do ano de 2004, e o que permite concluir que a falta de trabalho afecta sobretudo os licenciados!

Mais em Correio da Manhã
Link

Ofertas estrangeiras em excesso

O que cá há em falta, lá fora há a mais. E os utilizadores perguntam frequentemente como se podem ver livres de tantas ofertas estrangeiras do índice.

Nada mais fácil:

Em todas as ofertas existe, à direita, um link chamado classifique site xpto.

Basta clicar nesse link, reprovar o site que lhe interessa remover e depois, junto à caixa de pesquisa no topo da página, escolher 'remover reprovados'.

As classificações são guardadas com o perfil do utilizador e podem ser chamadas sempre que fizer login.

Este mesmo sistema pode ser usado da forma inversa, ou seja, aprovar as fontes que lhe interessam e mostrar no índice apenas ofertas dessas fontes.

Por agora, esta classificação não vai influenciar nem filtrar o envio de notificações por e-mail.

sábado, dezembro 17, 2005

Manutenção

Este Sábado, 17 de Dezembro, vamos estar a inserir novos componentes no site. Desta forma, o serviço não estará acessivel durante grande parte do dia. Prevemos que às 18h00 já se encontre de novo em pleno funcionamento.

terça-feira, dezembro 13, 2005

Desemprego aumenta - Governo falha promessas de criação de emprego

O Governo admite que a situação económica está a piorar. E já corrigiu as previsões para o emprego e crescimento económico.

Passaram apenas seis meses, mas o estado da economia forçou o Governo a corrigir em forte baixa as previsões económicas.

Em Maio, o Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) previa que, até 2009, iam ser criados mais de 261 mil empregos. Mas agora o novo PEC apenas conta com 224 mil novos postos de trabalho, ou seja, são menos 37 mil. Contas feitas, este ano vão ser criados apenas cinco mil empregos e não 20 mil, tal como previsto.

Mais em SIC Online
Link

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Obrigado!

"Exmos. Srs:

Desde já o meu muitissimo obrigado pelo serviço que me foi prestado, uma vez que foi por este meio que consegui empregar-me novamente, em apenas quinze dias.

Desejo agora ser removido da V/ base de dados.
Sem outro assunto me despeço, reiterando os meus agradecimentos e elogiando a utilidade deste site e dos V/ serviços."


Post em nome de Pedro Miguel Pereira Amorim

sábado, dezembro 10, 2005

Mais 50 vagas para a Fileira Tecnológica

Cinquenta novas vagas para a Fileira Tecnológica do Inov Contacto.

Para responder ao elevado número de candidaturas de empresas na área das novas tecnologias, quer nacionais, quer estrangeiras, e à aposta governamental nesta importante área, o programa de estágios internacionais Inov Contacto vai juntar mais meia centena de estagiários aos 160 já seleccionados.

Só podem candidatar-se licenciados nos cerca de sessenta cursos da área das novas tecnologias constantes do formulário de candidatura. O período de candidaturas é de 8 a 25 de Dezembro de 2005.

Os próximos estagiários têm de contemplar os requisitos já conhecidos.


O processo de selecção decorrerá de 2 a 20 de Janeiro de 2006.

A estrutura dos Estágios Internacionais INOV Contacto mantém-se a mesma, tendo a 1ª fase início marcado para o dia 22 de Janeiro de 2006.

O ICEP Portugal, entidade gestora do programa de estágios, oferece todas as condições para a realização dos estágios.
Link

sexta-feira, dezembro 02, 2005

“A empresa, que por acaso chamavas família, deu-te um chuto no rabo, António!”

O António começou a trabalhar na empresa há mais de trinta anos. Os anos foram passando e trouxeram-lhe sucessivas progressões na carreira profissional dentro do espaço laboral. Durante anos a fio, assistiu com alguma despreocupação e desleixe ao crescimento dos filhos – quanto à mulher, nem se fala! Em contrapartida, lá chegou ao cargo de sub-chefe a muito custo. Desde o momento glorioso em que foi promovido para este posto, a frase “A EMPRESA ESTÁ EM PRIMEIRO LUGAR NA MINHA VIDA” tomou prioridade no seu rol de frases predilectas.

Curiosamente, o seu chefe acabaria por falecer vítima de doença prolongada e o cenário afigurou-se-lhe positivo. Foi convidado a desempenhar temporariamente o cargo maior, isto até se ter oficializado o novo sucessor do líder já enterrado. António tirou um curso intensivo de Inglês, corrigiu a postura e encheu o ego. Chegou então a manhã em que o director-geral lhe comunicaria a promoção. Antes de partir para o trabalho, António teve ainda tempo para a habitual laracha junto da mulher: “A EMPRESA ESTÁ EM PRIMEIRO LUGAR NA MINHA VIDA.”

António, de 58 anos de idade, não foi promovido nessa manhã. Outro mais novo e bem amigo do director-geral foi distinguido.

A mulher disse-lhe, então, no final desse dia decepcionante: “A EMPRESA, QUE POR ACASO CHAMAVAS FAMÍLIA, DEU-TE UM CHUTO NO RABO, ANTÓNIO!”

António acabaria por convidar os seus filhos para um almoço generoso no fim-de-semana seguinte.

domingo, novembro 27, 2005

Upload de CV's

Disponibilizamos a partir de agora a possibilidade para os utilizadores registados poderem fazer upload de um CV para o seu perfil de utilizador. Desta forma, para responderem às ofertas alojadas no nosso sistema, bastará um clique.

Como actualizar:

http://empregos.online.pt > Login > Preferências > Inserir o seu CV .doc / .pdf ou .rtf > OK

Na próxima fase (1 semana?) estará disponível um histórico com o status dos envios das candidaturas, actualizável pelos próprios recrutadores, com apenas um clique.

É normal que o site fique um pouco mais lento que o habitiual nos próximos dias, devido aos milhares de uploads. Se aparecer algum erro, tentem mais tarde.

Nota muito importante: Os CV's não vão ficar públicos para download. Apenas vão ficar no sistema para facilitar o seu envio às empresas que estão a recrutar.

sexta-feira, novembro 25, 2005

A síndrome da exploração mecanográfica

REFLEXÂO: Sentirmo-nos desorientados neste mundo cada vez mais globalizado, onde se investe, produz e se compram serviços com o valor do “dinheiro electrónico”, aquele que só circula nos discos rígidos, é absolutamente natural! Natural também é que passemos a ser meros “operários electrónicos”, números mecanográficos, registados pelo “clique” do relógio de ponto. Mais: Alarmante é a mudança sócio-cultural resultante de uma politica pós-industrialização sem qualquer respeito ou atenção pela dignidade de quem se dispõe a trabalhar e, actualmente, pelo mero indivíduo.

Tornou-se uma obsessão ou, melhor (!), uma síndrome, olhar o operário com desdém e, consequentemente, os serviços que este presta a uma empresa são tidos como mera obrigação...

QUANDO...

... se cumpre apenas o horário estipulado, o funcionário é acusado de falta de interesse e entrega.

... há essa entrega e se oferece horas à “casa”, o operário mecanográfico (desengane-se quem pensa que hoje em dia o empregado de escritório é em algo diferente do fabril!), só cumpre o seu dever.

... o trabalhador recebe o seu salário, tão desproporcionado quando relacionado com o seu valor curricular e profissional, a tendência é sentir-se constrangido.

REALIDADE: Aos olhos da sociedade actual, é quase um comportamento desviante pedirmos dinheiro à entidade patronal, afigurando-se esta, cada vez mais, com a imagem paternal (daquele pai que dava tareias com o cinto no Século passado e não do que conta histórias ao deitar). Sim, afinal, é o nosso patrão que nos dá a mesada e, meus caros, irrompendo a sua voz, incessantemente, num dos raros momentos de ócio que nos são permitidos usufruir; qualquer coisa como: “Não venhas tarde”- diz-nos sem carinho.

CONVICÇÃO: Se pouca for a cautela, tornar-nos-emos, inevitavelmente, nos tais operários mecanográficos, criaturas submissas à autoridade do patrão, vermes sem amor próprio e odiosamente bajuladores, prontos para destruir a vida do próximo que atente contra a situação “confortável” na empresa. Ontem os patrões tomaram o poder, hoje a efectividade não é um posto em emprego algum, amanhã o operário será alvo de “apartheid-laboral”, isto é, preconceito social para com títulos como “escriturário”, “secretário”, “jornalista”, “pivot de televisão”, “licenciado”, os mesmos que se verão privados de entrar em sítios reservados aos patrões que, em Portugal, são, na sua maior parte, indivíduos sem qualquer formação profissional ou mesmo social, muitas vezes pouco inteligentes e, sem excepção, desumanos.

CONCLUINDO: Isto não é uma visão negra do futuro. Isso era-o o “Mil Novecentos e Oitenta e Quatro” de George Orwell. Mas acabou por acontecer! Quem é que ainda não acredita em profecias?!

quinta-feira, novembro 24, 2005

Virose

Hoje recebi uns 5000 mails infectados, todos eficazmente removidos pelo antivirus gratuito AVG que pode ser encontrado em http://free.grisoft.com/doc/2/lng/us/tpl/v5 (link para download no final da página). Fica a informação.

quinta-feira, novembro 17, 2005

Desemprego: um crescimento (in)esperado!!!

A situação actual de emprego em portugal está na ordem do dia. Segundo uma noticia públicada no Diário de Notícias (17 de Novembro de 2005) o desemprego, no passado mês de Setembro, atingiu os seus níveis mais elevados desde o ano de 98, com uma taxa de 7,7%.

Apesar de nesta altura do ano este aumento ser considerado como normal (por oposição ao período de verão – com o trabalho sazonal), certo é que a previsão dos 7,4%, para o final do corrente ano, fica condicionada. Não fazendo qualquer sentido estar a reforçar números que já fazem parte do drama colectivo pelo qual a sociedade Portuguesa está a passar (487 mil desempregados inscritos no IEFP), torna-se antes, importante reflectir no conjunto de medidas concretas que existem para fazer face ao mesmo.

Não obstante de, a uma escala micro existir uma proposta para a introdução do subsídio de desemprego pelo actual governo e, a uma escala macro a criação de um fundo para a globalização proposto pela Comissão Europeia. Reforço a existência de lacunas na procura concreta de emprego e nas medidas (dispersas) que dizem ser criadas de modo a orientar os indíviduos que se encontram na situação de procura de emprego.

Segundo dados apresentados pelo INE (2005) 80% do aumento do desemprego é explicado por indivíduos à procura de novo emprego e também por jovens à procura do primeiro emprego (na maioria recém licenciados). É indubitável que, em matéria de procura de emprego, neste momento parte das minhas representações estão orientadas para a não existência de um saber efectivo de como o fazer. Concretizando a ideia e, sem reforçar a fraca gestão de carreira que ocorre na maior parte dos casos (factor que é traduzido muitas vezes pela escolha de uma formação base que à partida não irá ter uma absorção efectiva no actual mercado), enquanto colaboradora dos Empregos.online, deparo-me com um universo de indíviduos que não sabem onde, como e a forma de procurar emprego.

Neste sentido, penso que para futuro se torna interessante reflectir na criação de estratégias efectivas de suporte ao desempregado, na construcção de planos de carreira e procura de emprego. No meio de um cenário nem sempre animador, é com algum alento que observo o esforço incomensurável que a equipa dos Empregos.online tem feito de modo a tornar o processo de procura de emprego facilitado. Mais que um serviço, uma responsabilidade social!

domingo, novembro 13, 2005

www.holajobs.com - pesquisa em Espanha

Colocámos online uma versão beta do motor de pesquisa de emprego para Espanha.
O link é www.holajobs.com e o site é bastante limitado em termos de funcionalidades, permitindo apenas pesquisar.

No entanto, irão encontrar uma oferta muito vasta e diversificada.

quarta-feira, novembro 02, 2005

Empregos.online – Uma porta em direcção ao futuro!

Como recentes colaboradoras da Empregos.online, foi através de um estado de espírito que balançava a motivação e o dinamismo e, a apreensão e curiosidade que vestimos a camisola do maior site de empregos a nível nacional, na 7ª Feira de Emprego nos passados dias 21 e 22 de Outubro. O contacto feito por meio da JobFair com as Pessoas mas também com as Organizações presentes permitiu-nos chegar à conclusão que o core-business que representávamos constitui uma mais-valia para ambas (Pessoas & Organizações).
A emergência de uma Sociedade de Informação não representa novidade absolutamente nenhuma, contudo, a capacidade processar e gerir a mesma constitui um desafio para os demais.

A posição de membros recém-chegados a uma organização permitiu-nos olhar de modo objectivo para o projecto e verificar o seu contributo incomensurável para o actual desafio que a nossa sociedade enfrenta: o EMPREGO!
Através da análise ao panorama actual do emprego em Portugal confrontamo-nos com algumas fragilidades entre as quais, a oferta de emprego, sendo que esta constitui indubitavelmente um problema, no sentido em que existe por parte do candidato a dificuldade em filtrar toda a informação que recebe.

O número de ofertas de emprego que o Empregos.online integra actualmente (mais de 10 mil) constitui a prova real de que existem ofertas no nosso mercado, contudo, tal indicador não significa que o candidato consiga filtrar toda a informação (nomeadamente, ofertas de emprego) disponível na Internet. É, indubitavelmente, neste âmbito que o Empregos.online actua com toda a sua força através da indexação de inúmeras ofertas de emprego disponíveis nos principais sites de recrutamento do país, procurando facilitar o processo muitas vezes moroso e, por vezes, desmotivante que é a procura de emprego.
Enquanto colaboradoras recém-chegadas ao projecto foi com um enorme prazer que observamos na JobFair os resultados positivos que o mesmo está a ter junto das Pessoas e também das Organizações. Os incentivos e estímulos positivos que nos transmitiram constituíram sem dúvida a alavanca que precisávamos para acreditar no Empregos.online como sendo uma porta em direcção ao crescimento e desenvolvimento profissional, enfim, digamos uma porta em direcção ao futuro!

Sandra Barão & Inês Pontes (Outubro de 2005)

sábado, outubro 29, 2005

Categorização

Está em curso a categorização automática de ofertas por categoria e por zona geográfica, disponível para utilizadores registados. As opções de filtragem podem ser encontradas por baixo da caixa de pesquisa. Deixem os vossos comentários.

Destinos para o estrangeiro

Visto este ser um assunto com bastante interesse, gostaria de saber quais seriam os vossos destinos preferenciais, ou pelo menos, até onde estariam dispostos a ir, áreas de interesse, etc. Assim encontraremos ofertas de acordo com as preferências globais dos utilizadores.

quinta-feira, outubro 27, 2005

Quase 20% vão para o estrangeiro depois do curso

Nem de propósito, em boa hora o Empregos.online adicionou à sua lista de ofertas de empregos a vertente "entrangeiro". Sou jornalista e, hoje, uma das notícias do dia dá-nos conta de que 19,5% dos licenciados de Portugal trabalham noutro país. Os dados constam de um estudo do Banco Mundial, que analisa o fenómeno conhecido como "fuga de cérebros". Na tabela global de países com mais de cinco milhões de habitantes, Portugal está em 21º lugar. Os porquês da situação ficam sempre por esclarecer nestes estudos, mas, pelo que sabemos, podemos concluir que:
- ter um curso superior, em Portugal, JÁ FOI sinónimo de emprego garantido;
- os "cérebros" são mais valorizados lá fora;
- Portugal continua a não saber aproveitar a mão-de-obra qualificada.
Não quero, com isto, afirmar que não se deve investir num curso superior, mas devemos estar conscientes que ao conseguirmos um canudo, apenas inciamos um processo que será longo: acabar um curso superior nunca pode ser encarado como um fim. Aconselho, pois, ao investimento na formação alternativa, com especialização nas vertentes que mais vos interessem. Tirem cursos de formação profissional mas não o façam pelo diploma: aprendam, efectivamente, alguma coisa com isso.

sexta-feira, outubro 21, 2005

As pessoas são a chave para o sucesso

Analisando a actual realidade económica e social do nosso país, depressa chegamos a uma conclusão certamente pessimista, mas é a verdade. As expressões "aumento do desemprego" e "apertar o cinto" tomam conta do nosso quotidiano. Hoje em dia já nada é seguro e as oportunidades são escassas em termos de mercado de trabalho. Os preços sobem e os salários não acompanham, e enfim, é este cenário que devemos interpretar e lidar dia após dia.
Acredito que existem em Portugal cada vez mais pessoas competentes e qualificadas, que nada ficam a dever aos nossos parceiros da UE. O grande problema é que não existe uma prática consistente de optimização dos recursos humanos no nosso país, à excepção de algumas empresas, principalmente multinacionais. As pessoas são a chave para o aumento da produtividade e do sucesso, e por isso, obviamente que a formação assume uma preponderância vital neste aspecto.
Os subsídios comuntários para a formação são mal aplicados. Existem cursos de qualidade duvidosa e pouco aplicáveis na realidade empresarial. Os conteúdos programáticos estão já ultrapassados, o que de certa forma é um obstáculo à inovação e à criação de valor, objectivo essencial da formação.
As acções formativas devem preparar os formandos para o trabalho e para as situações reais do dia-a-dia. Sendo assim, o desenvolvimento pessoal, gestão das emoções e liderança são temas interessantes e úteis para o enriquecimento pessoal e profissional de cada um de nós. Aliás, a nova gestão de recursos humanos defende esses princípios. Quem não tem uma opinião formada acerca dos três conceitos, sugiro que procurem na internet algumas informações.
Para terminar, a reestruturação do nosso sistema educativo seria algo benéfico para as futuras gerações, mas já é outro assunto, apesar de defender que será essencial se queremos efectivamente "apanhar o comboio" da União Europeia.
Tiago Dias
Contacto: nyam@supremesoul.com
PS - Deve-se divulgar com maior regularidade as iniciativas à criação do próprio emprego. Eu optei por esse caminho, e apesar da situação não ser a melhor em relação ao contexto económico e empresarial de hoje, sei que tomei a decisão certa.

quinta-feira, outubro 13, 2005

Ofertas estrangeiras

Adicionámos alguns sites com ofertas para o estrangeiro. Se não tiverem na ideia dar o salto (alguns ordenados são fantásticos!) podem usar a classificação de fontes para reprovar esses sites e depois, por baixo da pesquisa, clicar em "sem reprovadas", que irá deixar de fora todas as fontes que estejam reprovadas.

Para os que gostariam de ver mais sites com ofertas para o estrangeiro listadas, enviem um e-mail com os vossos sites estrangeiros preferidos para sugestoes@empregos.online.pt. Serão colocados depois de uma análise detalhada ao tipo de conteúdo.

sábado, outubro 08, 2005

Classificação de fontes

Existe uma funcionalidade no site há já algum tempo, que embora seja bastante eficiente, não tem tido grande uso. Trata-se da classificação de fontes de emprego.
Essa classificação permite aos utilizadores registados fazerem uma lista própria dos sites com ofertas de emprego que lhes agradam ou não.
Alguns sites são mais especializados em determinadas ofertas que outros. Assim, muito facilmente, poderão compilar uma lista de sites do vosso agrado e só ver resultados dessas mesmas fontes.

Nova imagem

Estamos a reformular a nossa imagem, como podem ver no banner de topo. Este novo layout irá ser propagado para o resto dos banners e imagens do site. Os comentários são bem-vindos!

quarta-feira, outubro 05, 2005

Procuram-se Bloggers!

Gostava de escrever artigos sobre emprego, recrutamento ou formação neste espaço, contribuindo para a qualidade e diversificação da informação disponível para os utilizadores? Envie-nos um artigo para blog@empregos.online.pt - os artigos seleccionados serão colocados no prazo máximo de 48 horas.

JobFair em Lisboa

O nosso site estará em força na próxima JobFair, que vai ser realizada nos próximos dias 21 e 22 de Outubro na Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa. O horário é entre as 12h00 e as 21h00, sendo a entrada gratuita.

Apareçam para ver as ofertas de muitas empresas recrutadoras e aproveitem para conhecer o nosso team e ver em primeira mão alguns dos novos produtos que iremos lançar nessa altura, como será o caso do potentíssimo motor de CV's e do DeskJob.

A JobFair fez igualmente uma parceria connosco, de forma a darmos uma ajudinha na divulgação do evento, o que quer dizer que dentro de muito pouco tempo aparerá a comunicação ao evento em forma de banners na home-page. Não se esqueçam de visitar!

Bem-Vinda, Joana!

A Joana Morais é o mais recente elemento na nossa equipa, ficando responsável pela publicidade no site, pela colocação de anúncios e por toda a comunicação fora da área técnica. Se a quiserem contactar poderão fazê-lo pelo e-mail joana.morais@empregos.online.pt - por FAX 217 781 990 ou pelo telefone 217 787 174.

Temos a certeza que a comunicação do site ficará muito bem entregue! ; )

Teste a palavras favoritas

Colocámos uma nova funcionalidade, que permitirá aos utilizadores testarem as suas palavras favoritas ainda no ambiente de registo.

Assim, se desejarem testar como estão a responder as palavras que geram as notificações e os favoritos, poderão fazê-lo quando se registarem, bastando para isso colocar a palavra e clicar em "testar pesquisa". Uma nova janela irá abrir-se onde poderão encontrar os registos que correspondem a essa palavra.

Os utilizadores que já se encontram registados, podem aceder a essa função da seguinte forma:

http://empregos.online.pt > Login > Preferências > Navegar até à parte final do écran.

Dicas em como melhorar a performance das pesquisas podem ser encontradas no nosso FAQ em http://empregos.online.pt/faq.aspx

Notificações

Bem-vindos ao nosso Blog. Desta forma tentaremos passar algumas informações sobre o site aos seus utilizadores, assim como artigos que possam contribuir com informação para a área do emprego e do recrutamento.

Entretanto, as notificações por e-mail estão de novo a funcionar a 100%. Durante os últimos dias tivemos uns problemas, pois o servidor de e-mail recusou-se a colaborar com o excesso de tráfego. Resolvemos a questão enviando notificações apenas para utilizadores que tenham feito login nos últimos 90 dias, ou seja, utilizadores que estão aparentemente activos.

Se não faz o seu login no site há já algum tempo, e quer continuar a utilizar as notificações, talvez seja uma boa altura para o fazer: http://empregos.online.pt/login.aspx